quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Harrisonite

Reacção inflamatória desencadeada pela proximidade ao Harrison. Pode tornar-se grave se a exposição for superior a 2 horas por dia em indivíduos susceptíveis. Esta patologia apresenta uma incidência crescente ao longo do ano, com o pico da incidência em Novembro. Como tratamento primário aconselha-se a alteração dos estilos de vida, incluindo apanhar ar, sair de casa ou mesmo ir ao cinema. Se não houver melhorias, o tratamento farmacológico consiste em álcool p.o. 1-2 vezes por semana em quantidades a definir pelo próprio.

4 comentários:

Melanie Duque disse...

Pedrito, acho que tu pulaste directamente para a parte do Tratamento farmacológico... Leste as reacções adversas? =p

BOM ESTUDO!!

CARvALHO disse...

Lol, isto no fundo é como a diabetes: ah e tal alterações do estilo de vida, mas ninguem sai do consultorio sem a receita médica ehehe

açores_jp disse...

Dada a cronicidade da exposição, cheira-me que ja deve haver muita substancia amiloide a acumular-se por esses organismos sedentos que deambulam em frentes das mesas e secretárias da cidade do porto...e arredores!
Venham as mudanças nos estilos de vida...e a "receita" primeiro na mao...e depois na cabeça!!

Christian Lopes disse...

Falaste com o Canha desta Terpêutica? É que pelo que vi o outro dia ao almoço ele parece padecer de tal mal..